Wagner e ACM Neto na mira de promotor

O promotor de Justiça Eleitoral Olímpio Coelho Campinho Júnior ajuizou representações contra 17 políticos que afixaram propaganda na Lavagem do Bonfim, em Salvador. A Lei Eleitoral proíbe qualquer forma de propaganda antes de 6 de julho. O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, o governador baiano, Jaques Wagner (PT), e o deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA) estão entre os acusados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.