Wagner ameaça processar Serraglio se se sentir caluniado

O ministro das Relações Institucionais, Jaques Wagner, ameaçou processar o relator CPI dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), por ter lembrado, no capítulo do relatório que trata das relações do ex-secretário-geral do PT Sílvio Pereira com a Petrobras e a GDK - empresa baiana que tem contrato com a estatal -, que Jaques Wagner recebeu dinheiro da GDK para sua campanha eleitoral para deputado, em 2002, e que a filha dele (cujo nome nem sequer é citado no relatório) trabalha na empresa.Wagner confirmou que sua filha trabalha na GDK, mas disse que nunca negociou contrato dessa empresa com a Petrobras. "Se entender que é uma calúnia, vou processar o relator. Acho leviana a ilação que ele tenta fazer, a partir do fato de que minha filha trabalha na GDK", afirmou Jaques Wagner que, no entanto, admitiu que ainda não leu o relatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.