Vou usar todo peso da lei sobre invasores, avisa Zeca do PT

Os líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) no Mato Grosso do Sul foram advertidos nesta segunda-feira pelo governador José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT. "Não haverá trégua contra as invasões de fazendas. Vamos usar todo o peso da lei sobre os invasores", afirmou. Ele alterou sua agenda da tarde e da manhã de terça-feira, para analisar o assunto em caráter de urgência. Amanhã, às 8 horas, serão recebidos os coordenadores estaduais da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e às 9h30, a direção da Fetagari (Federação dos Trabalhadores na Agricultura). A decisão foi tomada devido ao crescente aumento no número de acampamentos de sem-terra no Estado, principalmente na região sul.Segundo calculam os movimentos da categoria, cerca de 18 mil famílias de sem-terra vivem hoje em assentamentos existentes em 47 municípios. A maioria deles armada nas margens de rodovias federais e estaduais, onde diariamente são realizados pedágios pelos sem-terra. Esse crescimento e promessa de "onda de invasões" está motivando várias tomadas de iniciativas por parte do Governo e das entidades que representam os fazendeiros no MS.Segundo Zeca do PT, caso os sem-terra pretendam seguir as "pregações e bravatas" de João Pedro Stédille - coordenador nacional do MST, que há dias ameaçou "infernizar" o governo federal com uma onda nacional de invasões - tal decisão levará a administração estadual a romper o relacionamento institucional com aqueles movimentos e organizações. "E isso pode incluir até mesmo a suspensão de programas de apoio social", disse o governador, advertindo que não permitirá que a reforma agrária, que considera necessária e urgente, "seja instrumentalizada contra a ordem e o estado de direito".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.