'Vou pagar porque ganho bem', diz Marco Maia sobre viagem em avião da Unimed

Em entrevista ao Estado, presidente da Câmara nega que tenha feito mais de uma viagem neste ano com avião de plano de saúde

26 de agosto de 2011 | 00h10

BRASÍLIA - Em entrevista nesta quinta-feira, 25, ao Estado, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), afirmou que vai pagar as despesas dos voos feitos pela Uniair por que tem um bom salário. “Eu ganho bem”, ressaltou. Ele garantiu ainda que foi a primeira vez que utilizou os serviços da empresa. “Neste ano foi a primeira vez que utilizei um voo particular”, disse antes de ser informado que o Estado descobrira outra viagem dele para ver um jogo de futebol da seleção.

Quem custeou o voo na semana passada no avião da Uniair?

O meu gabinete.

Foi dinheiro da verba indenizatória?

Não boto essa despesa na verba indenizatória.

E quem paga então?

Eu.

Do seu bolso?

Claro.

O senhor usa dinheiro do seu salário? Poderia pôr na verba de custeio.

Não faço isso justamente para não dar essa especulação. É muito melhor assumir. Eu ganho bem.

Para onde o senhor foi?

Fui de avião até Erechim, voltei a Porto Alegre e, depois, fui de helicóptero para Gramado.

A reportagem tem a informação de que esse voo ainda não foi pago. Quanto foi a despesa?

Não paguei ainda. Como foi neste fim de semana, a fatura vem depois. Um avião desse tipo dá na média R$ 3 mil, R$ 4 mil.

Soubemos que não foi a primeira vez que o sr. viajou pela Uniair. Quantos voos fez pela empresa?

Foi a primeira vez que usei esse voo. Neste ano foi a primeira vez que utilizei um voo particular. Eu nem conheço esses caras da Uniair. Nesse dia não usei avião da FAB porque era uma atividade do partido. Aproveitei para fazer uma reunião com os prefeitos do partido na reunião.

Não houve outros voos? Não vai aparecer outro?

Não, pode ficar tranquilo.

Por que escolheu a Uniair? O senhor não conhece os donos da empresa?

Aí foi o pessoal do administrativo. Não conheço os caras da Uniair.

Tudo o que sabemos sobre:
Marco MaiaaviãoPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.