'Vou esperar CPMF para apresentar reforma tributária', diz Lula

Presidente diz que o 'timing político' não é adequado para discussão sobre a proposta no Congresso Nacional

Leonencio Nossa, do Estadão

27 de novembro de 2007 | 17h53

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira, 27,  que o "timings político" não é adequado para a apresentação da proposta de reforma tributária e de política industrial. "Eu vou esperar o que vai acontecer com a CPMF para ver se a gente pode discutir reforma tributária", disse. E completou: "Uma coisa em cada tempo; espero que a CPMF possa ser resolvida nos próximos dias. Isso depende do Senado". Veja Também:  Entenda a cobrança do imposto do cheque  Oposição suspende obstrução e diz ter votos para barrar CPMFSem citar FHC, Lula ironiza presidentes que ganham dinheiro com conferência Lula quer falar com oposição sobre reforma política, diz Múcio  Segundo ele, a proposta de política industrial será "extremamente importante para o País". Lula disse que a proposta de política industrial traz novidades para alguns setores da economia, "um processo de desoneração razoável". "Agora, também não vamos colocar na mesma sala de aula alunos de anos diferentes em cursos diferentes". O presidente explicou que a decisão de não encaminhar em discurso de improviso no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o presidente ressaltou que o País chegou a um estágio em que as discordâncias políticas "não abalam um milímetro" a economia. "Se alguém pensa que por conta de nervosismo político vamos permitir que a economia brasileira desande, pode saber que vai perder dinheiro nesta aposta", afirmou. O presidente deixou claro que "o bom momento econômico" não mudará a política de controle do governo. "Sempre que a economia vai bem, aparece gente querendo ....Agora a farra do boi, resolver todos os problemas do século. Não vai ter isso". Segundo o presidente, o governo, em 2008, 2009 e 2010 manterá "o mesmo cuidado" e a "mesma responsabilidade" na questão dos gastos "Vamos chegar em 2010 e entregar este País para o presidente da República organizado, arrumado".  Sem obstáculos Lula quer convocar os presidentes de partidos, possivelmente, inclusive alguns da oposição, para discutir um projeto de reforma política a ser encaminhado ao Congresso Nacional a partir de janeiro de 2008. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 27,  pelo ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro.  Há uma semana, o governo havia decidido retomar a discussão da reforma política ainda em dezembro, mas foi convencido a adiá-la, para evitar polêmicas que poderiam atrapalhar a votação da emenda que prorroga a vigência da CPMF que enfrenta sérias resistências no Senado

Tudo o que sabemos sobre:
CPMFreforma tributária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.