FÁBIO MOTTA/ESTADÃO
FÁBIO MOTTA/ESTADÃO

'Vou disputar as prévias do partido', diz Virgílio

Prefeito de Manaus afirma que pretende ir até o fim na disputa interna do PSDB para a candidatura a presidente em 2018

Pedro Venceslau , O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2017 | 05h00

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, disse ao Estado nesta terça-feira, 28, que considera um “constrangimento” para o governador Geraldo Alckmin acumular a presidência do PSDB com sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto em 2018. 

Também postulante à vaga de presidenciável tucano, Virgílio afirmou que pretende ir até o fim e disputar prévias com a participação de todos os filiados da legenda. 

+++Programa tucano gera críticas internas

++ Programa do PSDB defende 'choque de capitalismo' e privatizações

“Olhe só que constrangimento: vou pedir a ele, como presidente do partido, que me dê a lista dos militantes que votam nas prévias – mais de 1 milhão de pessoas. Vou dizer: ‘Governador, preciso disso como ferramenta para derrotar o senhor.’ Vou pedir também que seja equânime na distribuição do Fundo Partidário para financiar a nossa disputa. Vou pedir igualdade. Mas para quem? ”

++ 'Documento do PSDB é fraco e cheio de platitudes', diz economista tucana

O tucano também questiona se o paulista terá tempo de conciliar sua agenda com as demandas da sigla. “Ele sempre foi muito atento ao governar São Paulo. Como vai ter tempo agora para governar bem o partido?” 

Quadro histórico do PSDB, o prefeito da capital amazonense reclamou, ainda, do processo de escolha que selou o nome de Alckmin como presidente do partido. “Minha principal referência política viva é o FHC. Mas ele não pode ser a fonte de todas as soluções. Certas conversas de petit comité repercutem na vida de todos nós”, afirmou. “Não estou cometendo nenhum crime. Só estou dizendo que vou disputar as prévias do partido.”

+++BASTIDOR: Entre a não agressão e a aliança com PMDB

A Executiva Nacional do PSDB se reunirá nesta quinta-feira, 30, para definir se vai incluir um modelo de prévias no novo estatuto que o partido vai apresentar. Virgílio já avisou que não aceita um modelo restrito: “A prévia pode se uma farsa, com 500 e poucas pessoas votando, ou aberta a todos os filiados”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.