Votos do PT contra mínimo de R$ 260 caem para cinco

As dissidências do PT na votação da medida provisória do salário mínimo deverão se restringir a cinco deputados. Depois de se reunirem, a maior parte dos 21 deputados petistas, que ameaçam votar contra o governo, decidiu que irá se abster da votação. O motivo para o recuo é que os petistas não querem votar junto com a oposição. "Votar junto com o PFL é muito difícil, por isso vou me abster", argumentou o deputado Luciano Zica (SP). O primeiro item da pauta da votação nominal, que irá ocorrer no plenário da Câmara, será o destaque do deputado Rodrigo Maia (PFL-RJ), que fixa o mínimo em R$ 275,00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.