ANDRE DUSEK | ESTADÃO
ANDRE DUSEK | ESTADÃO

Voto pela abertura do processo de impeachment no Senado, diz Acir Gurgacz

Relator das contas do governo Dilma de 2014, senador ressaltou que Senado irá garantir defesa da presidente

Bernardo Caram, Rachel Gamarski, Luciana Nunes Leal e Valmar Hupsel Filho, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2016 | 18h24

BRASÍLIA - O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) declarou há pouco que vai votar pela admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff. O parlamentar foi relator das contas do governo Dilma de 2014, que, apesar de não estarem contidas na denúncia do impeachment, têm fator semelhante à acusação analisada hoje pelos senadores: as pedaladas fiscais. Quando emitiu seu parecer, em dezembro de 2015, Gurgacz sugeriu a aprovação das contas da presidente, mesmo com avaliação contrária do Tribunal de Contas da União (TCU).

Agora, a visão do senador pode ter mudado, já que se posicionou a favor do afastamento de Dilma. Uma das bases do pedido são justamente as pedaladas fiscais. Ele disse que vai votar pelo pedido de impeachment da presidente, mas ressaltou que o Senado irá garantir a defesa da petista, além de fazer um julgamento final com calma e critérios técnicos.

“O Brasil quer voltar a crescer, precisa de paz e tranquilidade para continuar produzindo. Os brasileiros já não suportam mais essa crise política, moral e ética”, disse. “Esse cabo de força entre a oposição e o governo está levando o País para uma perigosa recessão”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.