Voto aberto para cassação é um avanço, diz Alves

Presidente da Câmara lembrou que a aprovação da proposta permite o cumprimento de sua promessa de não votar secretamente a perda de mandato

Eduardo Bresciani , O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2013 | 21h57

BRASÍLIA - O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), comemorou a decisão do Senado de aprovar o voto aberto para cassação de mandato. Para ele, ainda que não se tenha aprovado o fim da votação secreta para todas as situações, a decisão sobre perda de mandato é a mais urgente. "Foi um avanço, se não foi o ideal, nós não podemos deixar de registrar que foi um avanço".

Alves pretende conversar com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para que seja possível promulgar até a próxima semana a mudança na Constituição. O presidente da Câmara ressaltou que a aprovação permite o cumprimento de sua promessa de não colocar mais na Casa votação de processo de cassação com voto secreto.

Ele anunciou em agosto essa intenção, logo após a Câmara absolver o deputado Natan Donadon (sem partido-RO), preso desde junho.

O presidente da Câmara considerou natural a preservação do voto secreto para a indicação de autoridades e eleição da Mesa Diretora. Observou que a Câmara poderá voltar a debater estes temas no futuro.

Além da cassação, o Senado decidiu pela abertura do voto no caso da análise de vetos presidenciais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.