Votação no Grande Rio foi mais tranquila no 2.o turno

Em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, a votação foi mais tranquila do que a registrada no primeiro turno, quando algumas seções tiveram grandes filas ao longo de todo o dia devido a falhas no sistema de identificação biométrico. Na ocasião, alguns eleitores reclamaram ter ficado mais de duas horas na fila, e o horário de votação precisou ser estendido.

MARCIO DOLZAN, VINICIUS NEDER E FÁBIO GRELLET, Estadão Conteúdo

26 de outubro de 2014 | 20h00

Ontem, o problema se repetiu, mas em proporção muito menor - votantes de duas seções disseram ter esperado até 40 minutos para votar. O Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) considerou a situação dentro da normalidade.

Em todo o Estado, 414 das 32.675 urnas precisaram ser substituídas. Isso corresponde a 1,26% do total. Até as 18 horas, 171 prisões por crime eleitoral haviam ocorrido em todo o Estado, de acordo com o TRE-RJ. A maioria dos casos se referia à propaganda eleitoral e boca de urna.

Uma das detidas foi a deputada federal recém-eleita Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha do ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), delator do esquema do mensalão. Ela foi presa no Flamengo (zona sul do Rio) e levada à 15ª DP (Gávea) acusada de fazer boca de urna pelo candidato tucano à Presidência, Aécio Neves.

Em Cabo Frio, na Região dos Lagos, uma operação policial de madrugada paralisou parte do transporte coletivo na cidade e afetou o deslocamento dos eleitores. A situação só foi normalizada à tarde, após a polícia garantir que havia tomado medidas de reforço na segurança.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesRio de JaneiroPanorama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.