Votação do mínimo encontrará Lula no exterior

Depois de entrar no corpo-a-corpo da caça aos votos no Senado, sem conseguir evitar a derrota da medida provisória que fixa o salário mínimo em R$ 260, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não só ficará fora da articulação final em favor da MP na Câmara como também sairá do País. Menos de um ano depois de cancelar a viagem oficial que faria a cinco países africanos para ajudar na aprovação da reforma previdenciária, Lula deixará o Brasil rumo aos Estados Unidos nesta terça-feira. Parte exatamente no dia em que o presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), espera derrubar, pelo voto dos deputados, o mínimo aumentado para R$ 275 pelos senadores. Segunda-feira o presidente Lula passará o dia em São Paulo, em uma programação com os presidentes da Namíbia, Sam Nujoma, e da Colômbia, Alvaro Uribe. O primeiro encontro será às11h30, quando Nujoma e o presidente brasileiro terão uma reunião privada, seguida de um almoço no Hotel Sofitel. Só no meio da tarde o presidente colombiano desembarcará na cidade com uma delegação de empresários, para participar de um encontro destinado a estimular os investimentos no País. Uribe tem encontro de trabalho às 19h30 com o presidente Lula, que logo em seguida lhe oferecerá um jantar. Enquanto Lula estiver jantando com o presidente da Colômbia na capital paulista, João Paulo Cunha reunirá, na residência oficial do presidente da Câmara em Brasília, ministros políticos e líderes do governo e dos partidos da base aliada para fechar a estratégia de votação da MP do mínimo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.