Votação de verba para computadores em escolas é adiada

O plenário do Congresso, reunido hoje de manhã, não vai votar o tema mais polêmico que estava previsto para hoje, que é a inclusão, no Plano Plurianual de Investimentos (PPA) de 2000-2003, de uma verba de R$ 2,6 bilhões do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para instalação de computadores em escolas públicas ainda este ano. O relatório do deputado Santos Filho (PFL-PR), favorável à operação, foi aprovado ontem à noite na Comissão Mista de Orçamento, mas diversos destaques apresentados, principalmente pela oposição, não chegaram a ser votados. Portanto, a matéria não pode ainda ser submetida, hoje, ao plenário. O presidente da comisssão, senador Carlos Bezerra (PMDB-MT), informou que a votação deverá ser realizada na semana que vem, mas apenas depois do depoimento do presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Renato Guerreiro, sobre o processo de licitação desses computadores. O que está sendo questionado, até por parlamentares governistas, é que esses computadores serão fornecidos pelas empresas de telecomunicações, e não por fabricantes de computadores, como seria lógico, no entender desses parlamentares. Na ordem do dia de hoje do Congresso está prevista a votação de seis medidas provisórias e seis pedidos de autorização de créditos suplementares. Entre as MPs, no entanto, apenas uma ou duas deverão ser votadas, segundo avaliação dos governistas. Na lista das MPs está a que institui o pregão como modalidade de licitação para aquisição de bens e serviços comuns pela União.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.