Votação de requerimentos sobre Jader pode demorar

A oposição não conseguirá votar na terça-feira, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, os dois requerimentos envolvendo o presidente da Casa, Jader Barbalho (PMDB-PA). O presidente da CCJ, senador Bernardo Cabral (PFL-AM), disse que o requerimento que pede a quebra de sigilo bancário de pessoas envolvidas na venda ilegal de títulos da dívida agrária (TDAs) e o outro, que solicita ao Banco Central os relatórios do caso Banpará, serão apreciados somente na próxima quarta-feira. Entretanto, pela previsão de Cabral, o relator da matéria, senador Bello Parga (PFL-MA), conseguirá concluir os pareceres, possibilitando a votação do assunto ainda antes do recesso parlamentar. Em relação à quebra do sigilo bancário, Parga disse que está examinando a matéria, mas informou que ainda não recebeu oficialmente o requerimento sobre o caso Banpará. "Não sei se vai dar tempo de relatar o caso do Banpará nesta quarta-feira, pois são matérias poderosas que jogaram nas minhas mãos", disse. Mas Cabral acredita que o senador pefelista não deixará nada para agosto. A oposição queria votar já na terça-feira, em sessão extraordinária da CCJ, o requerimento da quebra do sigilo, mas o relator disse que não haverá tempo hábil para preparar o parecer. "Tenho que me ater aos aspectos constitucionais e jurídicos", completou Parga. A reunião da CCJ de terça-feira deverá ficar restrita à sabatina do procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, reconduzido ao cargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.