Votação da Lei de Falências pode ser adiada novamente

A votação do projeto que altera a Lei de Falências corre o risco de ser adiada mais uma vez por dificuldades na votação de um projeto de lei complementar que altera o Código Tributário Nacional. Para alterar o código, a base aliada fechou um acordo ontem com o PFL para fazer uma votação simbólica, embora o regimento determine que leis complementares só possam ser aprovadas com votação nominal. O deputado Aroldo Cedraz (PFL-BA) disse que a votação poderia ser simbólica com base no acordo de líderes. Mas o deputado Eduardo Paes (PSDB-RJ) informou que o PSDB pedirá a verificação nominal da votação. O deputado Alberto Goldman (PSDB-SP) apresentou requerimento para retirar o projeto de lei complementar da pauta de votação e pediu verificação de votação quando o presidente da Câmara, João Paulo Cunha, declarou o seu requerimento, rejeitado em votação simbólica. Este pedido poderá, no entanto, dar possibilidade para votação simbólica do Código Tributário Nacional, já que outra verificação de votação só poderá ser feita em no mínimo uma hora depois do pedido anterior. Vencidos esses obstáculo, o projeto que altera a Lei de Falências poderá então ser votado simbolicamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.