Voorwald pode rever plano de carreira de professores

O futuro secretário da Educação de São Paulo, Herman Voorwald, disse hoje que pretende rever o plano de carreira dos professores da rede de ensino do Estado e manter a política de progressão continuada dos alunos.

ANNE WARTH, Agência Estado

17 Dezembro 2010 | 18h12

Em encontro com jornalistas após ter seu nome confirmado para o cargo, Voorwald admitiu que os salários dos professores são baixos, mas afirmou que ainda precisa analisar o orçamento da secretaria para 2011 e analisar se é possível conceder algum aumento já no próximo ano. "Eu acho que eles não são bem remunerados, não", reconheceu. "Mas essa é uma questão que tenho de discutir por conta do Orçamento. Há um limite orçamentário e preciso conhecê-lo para ver quanto está comprometido para o exercício de 2011", disse.

O futuro secretário disse que irá ampliar a interação entre as universidades estaduais - USP, Unicamp e Unesp - com a rede de ensino público para que os professores possam fazer cursos de especialização à distância, coordenados pelas universidades. Ele afirmou que manterá a política de bônus por mérito aos professores, criada na gestão de José Serra. "O mérito é inquestionável. Vou trabalhar no estudo de um plano de carreira dos docentes. O plano de carreira é muito importante para dar estímulo e comprometimento do professor com sua carreira", afirmou.

Na avaliação dele, o programa de progressão continuada dos alunos deve ser mantido."A progressão continuada é fundamental. Se você tem um aluno frequentando uma sala de aula e ele não é aprovado, o problema está sendo na metodologia que está sendo utilizada e em como ele está sendo formado", disse. "A questão não é a reprovação", completou Voorwald.

Mais conteúdo sobre:
educação SP plano de carreira

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.