Vôo que transportaria dinheiro do dossiê foi cancelado

O proprietário da Air Jet Táxi Aéreo São Paulo, Arlindo Dias Barbosa, afirmou, nesta quarta-feira, que foi contatado pelo ex-agente da PF Valdebran Padilha para o aluguel de uma aeronave de sua empresa.Barbosa informou que combinou um total de R$ 16 mil para um vôo do Campo de Marte (SP) até Cuiabá, sem mencionar quantos passageiros seriam transportados ou quem viajaria. "Eu fiz apenas o orçamento da viagem para o Valdebran. Antes de fechar o contrato, o negócio foi desfeito", disse.Barbosa está sendo ouvido na sede da Polícia Federal de Mato Grosso do Sul, juntamente com o piloto Tito Lívio da Silva Ferreira Jr., escalado para fazer o vôo onde seria embarcado R$ 1,7 milhão destinados à compra do dossiê Vedoin, que seria utilizado contra tucanos. Os depoimentos prosseguem e deverão terminar ainda nesta manhã.Silva Ferreira confirmou que fez contatos telefônicos com Valdebran. Segundo ele, no dia 13 de outubro, às 6 horas, Valdebran ligou perguntando se ele seria o piloto que faria o transporte até Cuiabá. Porém, após aguardar dois dias, Silva Ferreira retornou a Campo Grande por ordem do dono da Air Jet Táxi Aéreo."O Arlindo me disse que o negócio estava muito enrolado, cancelando a viagem", afirmou o piloto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.