Vizinho processa Brasil na OMC por causa de sobretaxa

Apesar das aparentes boas relações, Argentina e Brasil vivem um contencioso comercial. O ponto de discórdia é a resina PET, usada para fabricar garrafas de bebidas - o Brasil comprava da Argentina e passou a adquirir de países asiáticos. A Casa Rosada enviou processo esta semana aos tribunais da Organização Mundial do Comércio (OMC) contra o Brasil. Os argentinos exportavam o produto para o mercado brasileiro, mas o País adotou uma sobretaxa, alegando dumping. "O resultado foi que nos tiraram do mercado e substituíram nossos produtos por importações da Coréia e Taiwan", disse Alfredo Chiaradia, secretário de Comércio da Argentina. "Dois sócios comerciais não podem deixar chegar a essa situação. Temos de encontrar alguma forma de resolver essas questões", alegou Nestor Stancanelli, diretor do Departamento de Negociações Internacionais da chancelaria argentina. Segundo ele, Buenos Aires sugeriu um acordo de preços. "O governo brasileiro deu sinais de que estava interessado, mas as empresas rejeitaram." O chanceler Celso Amorim lembrou que o Brasil sempre sugeriu que regras comuns para a adoção de medidas antidumping fossem criadas no Mercosul. Sem um acordo, os árbitros da OMC vão agora avaliar a petição argentina e definir se o Brasil terá ou não de retirar a barreira. "Vamos até o fim com o processo", afirmou Chiaradia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.