Viúva tenta reagrupar campanha estadual

Renata Campos convoca reunião política para confirmar apoio a Paulo Câmara

ANGELA LACERDA , DAIENE CARDOSO, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2014 | 02h01

RECIFE - A viúva de Eduardo Campos, Renata Campos, vai deixar o luto amanhã para se reunir com prefeitos, vice-prefeitos, deputados, vereadores, candidatos e líderes municipais da coligação Frente Popular, liderada pelo PSB local, em uma casa de recepções, no bairro Benfica, no Recife.

O convite para a reunião está sendo compartilhado nas redes sociais, em nome de Renata e do candidato do PSB ao governo pernambucano, Paulo Câmara.

No encontro, Renata deverá confirmar o apoio integral da coligação ao candidato escolhido por Campos para a sucessão estadual, assim como às outras candidaturas da chapa majoritária - Raul Henry (PMDB) a vice e Fernando Bezerra Coelho (PSB) ao Senado. A avaliação é de que, se por um lado o clima de comoção ajuda Câmara inicialmente, por outro a ausência de um padrinho forte pode espantar os aliados com o passar do tempo.

Câmara aparece em grande desvantagem nas pesquisas e ainda é um nome desconhecido.

O presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, afirmou se tratar de "boato sem a menor fundamentação" os relatos que começaram a surgir sobre uma divisão interna do partido em Pernambuco relacionada ao candidato, que é um nome técnico e não tem traquejo político.

Impressionados. Ontem a cúpula do PSB - o novo presidente da sigla, Roberto Amaral, o líder da bancada na Câmara, deputado Beto Albuquerque (RS), o coordenador do programa de governo, Maurício Rands, e o senador e candidato ao governo do Distrito Federal Rodrigo Rollemberg - esteve na casa de Renata, no bairro de Dois Irmãos, no Recife. Passaram pelo local, entre outros políticos, o senador e candidato do PT ao governo do Rio, Lindbergh Faria, a deputada Jandira Feghali (PC do B-RJ) e os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

Os que deixavam a residência da família Campos se diziam impressionados com a firmeza emocional de Renata. "Ela está completamente serena. Você vai consolar e é ela quem te consola. É impressionante", resumiu o presidente do PC do B, Renato Rabelo. O filho mais velho de Campos, João, 20 anos, também chamava a atenção de quem visitou a família. "O filho mais velho se coloca como sucessor", observou Rabelo.

Um dos amigos da família saiu da casa citando uma frase de Renata. "Os olhos verdes dele (Campos) serão o farol que iluminará o Brasil", disse Paulo de Tarso de Moraes Souza, ex-diretor do Banco do Estado do Piauí (BEP) e ex-secretário da Fazenda do Estado do Piauí.

Havia uma fila de pessoas dentro da residência para prestar condolências à viúva. Pela manhã, um grupo de mais de 100 pessoas, vestidas de branco, a visitou para uma homenagem à família. Lavaram flores, cantaram e bateram palmas para o ex-governador pernambucano. Cada um deles foi abraçado por Renata.

Os restos mortais de Campos serão enterrados hoje às 17 horas. Às 10 horas, haverá uma missa campal em sua homenagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.