Viúva recebe da Assembleia-SP mesmo sendo vereadora

Por ser viúva do ex-deputado estadual Nabi Abi Chedid, que exerceu mandato durante 40 anos na Assembleia Legislativa - de 1963 a 2003 -, Beth Chedid recebe R$ 15.031 todos os meses como pensão pela contribuição compulsória de Nabi com a extinta carteira dos parlamentares paulistas. É, contudo, apenas um dos três vencimentos que ela recebe do poder público no Estado.

FERNANDO GALLO, Agência Estado

26 de dezembro de 2012 | 09h09

Funcionária efetiva da própria Assembleia, Beth recebe salário por trabalhar como assessora jurídica no gabinete do deputado Campos Machado (PTB) - ao contrário do Executivo, o Legislativo paulista não divulga o salário nominal de seus funcionários. Além disso, ela é vereadora na cidade de Bragança Paulista, onde recebe R$ 6.192. Por brechas legais, consegue receber os três vencimentos na íntegra.

"Por lei, a pensão não tem nada a ver com salário, não entra no computo de teto. É uma coisa absolutamente legal", argumenta ela. "O teto é o teto. A carteira é a carteira, não se soma a nada."

Beth sustenta que "nem haveria como a carteira deixar de existir porque todas as pessoas contribuíram com a Fazenda durante muitos anos". Ela afirma que Nabi contribuiu mesmo após a sua extinção, em 1991. "Ele continuou pagando até morrer. Ele recebia como aposentadoria e eu recebo como pensão".

A vereadora também afirmou que a "carteira está acabando", uma vez que a maioria dos beneficiários já são de idade avançada. "As viúvas estão bem velhinhas. Os antigos deputados vivos, a mesma coisa."

Ela ainda questionou o Estado sobre o motivo da reportagem. "Eu não entendo. Qual é o intuito? Tem alguém que não mereça estar na carteira?" As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
pensão vitalíciaSPviúva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.