Viúva no RS tenta reabrir investigação

A viúva de Marcelo Cavalcante, ex-representante do governo gaúcho em Brasília, encontrado morto no Lago Paranoá há dois meses, disse que ele era pressionado e não estava de acordo com a administração do Estado. Em entrevista ao site do Jornal Já, Magda Cunha Koenigkan, sustentou que o marido sabia de "coisas muito pesadas".Ela confirmou saber de uma gravação na qual o marido se mostra estarrecido ao descobrir que parte do dinheiro arrecadado para a campanha eleitoral do PSDB para o governo do Estado, em 2006, tomou outro rumo.A deputada estadual Zilá Breitenbach (PSDB) considerou a entrevista de Magda uma tentativa de buscar projeção na mídia sensacionalista. Para a polícia, Cavalcante cometeu suicídio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.