Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Vitória de Russomanno seria 'salto no escuro', diz Haddad

Em caminhada pelo centro de SP com o petista, Marta atacou Serra e disse que tucano é 'rei do 'embromation' '

Bruno Lupion, de O Estado de S. Paulo

10 de setembro de 2012 | 21h18

No evento mais inflamado desde o início da campanha petista, o candidato do partido à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, e a senadora e ex-prefeita Marta Suplicy partiram para o ataque ao primeiro e ao segundo colocados nas pesquisas de intenção de voto, Celso Russomanno (PRB) e José Serra (PSDB), respectivamente.

Após caminhada no centro nesta segunda-feira, 10, coube a Haddad fustigar o líder nas pesquisas e, a Marta, centrar fogo no adversário tucano. O candidato petista disse que a hipótese de vitória de Russomanno equivale a um "salto no escuro". Já a senadora afirmou que Serra divulga mentiras em seu programa eleitoral e é o rei do 'embromation', usando uma gíria derivada do termo embromar.

Marta usou 90% do tempo de seu discurso - de 5 minutos e 10 segundos - para criticar o tucano e defender a proposta petista de criar um Bilhete Único Mensal. Segundo ela, Serra está tentando provocar "tumulto" nas eleições municipais ao apostar na desqualificação das propostas de adversários - ela se referia a uma propaganda tucana na televisão que afirma que a proposta de Haddad "tem cara e jeito de taxa" e "não tem pé nem cabeça".

"Que José Serra não venha com essas mentiras, ele é o rei do 'embromation'", afirmou a senadora. Ela lembrou a época do implantação do Bilhete Único na cidade de São Paulo, durante a sua gestão como prefeita, e disse que caberia ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) incorporar a proposta do Bilhete Único Mensal ao metrô e ao trem.

Ao assumir a palavra, Haddad comparou a hipótese de vitória de Russomanno a um "salto no escuro" e disse que o oponente não tem propostas viáveis. Ele usou 16% de seu discurso - de 9 minutos e 40 segundos - para criticar o candidato do PRB.

"O que faz o Russomanno? Fica agradecendo no horário eleitoral, ainda não se sabe o quê, e não faz uma proposta para a cidade de São Paulo", afirmou, referindo-se a uma propaganda eleitoral na qual Russomanno agradece à população pela "confiança" depositada nele.

Mais tarde, em coletiva de imprensa, Haddad disse que as propostas do candidato do PRB são "balões de ensaio" sem consistência técnica e criticou a ideia de Russomanno para integrar os vigias particulares a uma rede de segurança pública. "A maioria dos bairros inseguros de São Paulo não tem vigias noturnos, eles vão ficar desguarnecidos?", questionou. A proposta de Russomanno também já havia sido criticada pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD), que a comparou à criação de milícias.

Marta e Haddad discursaram ao fim de uma caminhada da Praça Ramos de Azevedo até a Praça da República, no centro da capital, em defesa dos direitos das mulheres e batizada de "Dia Lilás". Eles estavam acompanhados da candidata a vice da coligação, Nádia Campeão (PCdoB) e da mulher de Haddad, Ana Estela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.