Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Vitor Hugo diz que PSL e outros partidos não podem entregar pontos sobre MP dos ministérios

Segundo o líder do governo na Câmara dos Deputados, o governo pode até perder em alguns itens, mas não deve 'abandonar posição'

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2019 | 14h16

BRASÍLIA - O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), fez um apelo ao PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, e a outros aliados para que defendam a aprovação das medidas provisórias que estão na fila da Casa e que podem ser votadas na próxima semana. 

Dando destaque para a MP da reforma administrativa, ele declarou que o governo pode até perder em itens como a saída do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça, mas que os aliados de Bolsonaro não podem "entregar os pontos" antes da votação no plenário.

"Com o embate político na Câmara, é natural que haja divergências e divisões. Se nós formos para a votação e perder, ok", declarou Vitor Hugo em entrevista coletiva nesta quinta-feira, 16. "O que a sociedade brasileira não quer e não espera do PSL e de outros partidos é simplesmente que a gente abandone a posição que, no nosso entendimento, é extremamente coerente com as bandeiras do governo e que levaram o nosso presidente ao cargo atual", declarou Vitor Hugo.

De acordo com ele, o governo está construindo um entendimento com os partidos para aprovar as medidas provisórias que devem ir ao plenário da Câmara na semana que vem. Com esse consenso, afirmou, será possível aprovar os textos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.