Vistoria de obras de Lula vira roteiro eleitoral no São Francisco

Aécio desiste de acompanhar presidente por achar que se tratava de uma agenda do Governo Federal

Ivana Moreira, da Agência Estado,

14 de outubro de 2009 | 14h06

Aécio só foi a cidade de Pirapora horas mais tarde, para se despedir do presidente Lula    

 

PIRAPORA, MG - A disputa eleitoral entre governo e oposição marcou o início do roteiro presidencial de visitas às obras no Rio São Francisco, nesta quarta-feira, 14, pela manhã, em Minas Gerais. A ideia inicial, segundo o próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva, era apenas fazer um roteiro de visitas às obras de saneamento e esgoto da região. Porém, o petista participou de solenidades com outros políticos e até fez um discurso em cima de um palanque.

 

Em seu discurso na cidade de Buritizeiro (MG), Lula afirmou que seu roteiro de visitas ao longo do São Francisco é uma sinalização para o País e para o mundo de que o projeto idealizado por Dom Pedro II, em 1847, vai agora sair do papel. Para o presidente, 200 anos depois, o projeto não andou para frente por causa dos "governantes de duas caras" do país.

 

Veja Também

linkLula critica governos passados por descaso com São Francisco

linkPara Lula, Dilma e Ciro têm vocação para 'carreira solo'

linkJosé Serra vê falta de investimento em irrigação no Nordeste

 

No palanque, o presidente esteve acompanhado da sua pré-candidata à presidência, e ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e dos ministros da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, da Cidades, Márcio Fortes, das Comunicações, Franklin Martins. O ex-ministro Ciro Gomes também acompanha Lula na viagem pelas cidades às margens do São Francisco.

 

Uma série de desencontros entre Lula e o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), culminou na desistência do tucano em acompanhar o presidente em um tour pelas obras no São Francisco.

 

O presidente Lula inicialmente desistiu, na noite de terça-feira, 13, de visitar Pirapora, cidade comandada por prefeito do Democratas, partido oposicionista, e resolveu ir apenas a Buritizeiro, administrada pelo PT. Assim, o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), um dos pré-candidatos de oposição à Presidência, cancelou o tour que faria ao lado de Lula, indo a cidade apenas horas mais tarde para se despedir do presidente.

 

A ausência do governador de Minas acabou dividindo os políticos da região. Aqueles ligados a Lula, que desembarcou no aeroporto de Pirapora, seguiram o presidente em sua visita às obras de saneamento básico de Buritizeiro. Já os apoiadores de Aécio, permaneceram na cidade governada pelo DEM esperando a chegada do governador de Minas Gerais - incluindo o prefeito de Pirapora, Warmilon Braga (DEM).

 

 

As duas cidades ficam em margens opostas do São Francisco. Enquanto em Pirapora a estação de tratamento de esgoto está concluída e a rede de saneamento básico já atinge 60% da população, em Buritizeiro, as obras da rede de saneamento básico estão apenas no início. A estação propriamente dita nem começou a ser construída.

 

Quebra de Protocolo

 

Quebrando o protocolo definido pelo cerimonial do Palácio do Planalto, depois do discurso em Buritizeiro, Lula fez questão de visitar a estação de tratamento de esgoto de Pirapora. Assessores da Presidência chegaram a ligar para o prefeito da cidade, mas o democrata respondeu que não poderia encontrar-se com o presidente porque estava no aeroporto esperando por Aécio Neves. O prefeito disse ainda que a estação estava fechada, não estava preparada para receber o presidente.

 

"Passei 30 dias dizendo que ele não podia vir aqui e não visitar Pirapora e agora eles querem que eu mude tudo para ir", explicou Warmilon Braga, aos jornalistas.

 

Mesmo sem a presença do prefeito e com a sentença do democrata de que o local não tinha condições de receber visitas, Lula fez questão de conhecer todo o processo de tratamento da água em Pirapora e quis ver o ponto onde a água tratada é jogada no leito do rio. No local, encontrou com dois pescadores que foram surpreendidos pela visita inesperada. O presidente conversou com os pescadores, que são moradores da região, e ainda passou alguns minutos segurando a vara, fingindo que pescava às margens do São Francisco.

 


Lula e Dilma simulam pescaria

Enquanto isso, desde às 10h15, Aécio esperava por Lula no aeroporto de Pirapora, como estava combinado. O presidente chegou quase uma hora depois.

 

Segundo o governador de MG, depois de avaliar que tratava-se de uma agenda do Governo Federal, decidiu que não deveria ir a Buritizeiro. Para Aécio, é legítimo o fato de Lula estar tentando construir uma candidatura no seu campo e que, para isso, esteja levando sua candidata pelo país todo.

 

Com plateia governista, Aécio teve agenda de candidato enquanto esperava por Lula. Tirou fotos e foi carregado como candidato. Aécio, Lula, Dilma e Ciro Gomes se deixaram fotografar juntos no aeroporto. Antes de embarcar, Lula e Aécio tiveram uma conversa a sós, numa salinha do aeroporto.

 

O governador tucano também não deixou de fazer propaganda para o seu governo. Segundo ele, Minas está investindo na revitalização da Bacia do Rio das Velhas, que desagua no São Francisco, R$ 1,4 bilhões, o mesmo valor que o governo federal está investindo em todo país para revitalização do rio. Para Aécio, o que o governo federal está fazendo é pouco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.