Visita de Lula a Salvador pode abalar base no Congresso

A visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à capital baiana pode causar problemas na base de apoio do governo no Congresso. O PFL baiano considerou imprópria a vinda de Lula nesse inicio de campanha municipal pelo apoio que isso pode representar aos candidatos petistas. Em Salvador, por exemplo, o deputado Nélson Pelegrino (PT) que está em terceiro lugar nas pesquisas para a prefeitura espera obter bons dividendos políticos da visita do presidente. Ocorre que isso pode ter um preço muito alto."A base do governo no Congresso é muito frágil e pode implodir nessa campanha a depender da atuação do presidente Lula", avisou o deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA) coordenador da campanha do senador César Borges (PFL-BA) adversário de Pelegrino na corrida municipal. Ele lembrou que os pefelistas baianos são "colaboradores eventuais do governo" nas votações da Câmara e Senado e podem mudar de posição caso percebam "uso eleitoreiro" da máquina federal nas eleições. Liderada pelo senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) a bancada "carlista" no Congresso conta com 24 deputados e três senadores, contingente que pode decidir votações de interesse do Planalto.Cauteloso, ACM Neto disse que o PFL baiano vai avaliar o comportamento de Lula na Bahia. "Sabemos que o PT baiano vai fazer campanha nessa visita, mas esperamos que Lula não entre nessa, pois presidente deve governar e não fazer política", disse. O deputado criticou a organização da visita contando que só recebeu a confirmação oficial na sexta-feira. "Foi muito em cima da hora, eu já tinha agenda de trabalho para essa segunda-feira", informou, dizendo que por essa razão preferiu não participar dos eventos oficiais da comitiva do presidente.Irônico, comentou que Lula demorou muito tempo para vir a Salvador cidade onde proporcionalmente teve uma das maiores votações na eleição presidencial e lamentou que o motivo tenha sido o lançamento da Farmácia do Povo. "Sem desmerecer o programa, acho que Lula deveria trazer melhores notícias para os baianos", disse, observando que talvez fosse mais eficaz ao invés de criar uma farmácia nos moldes que foi anunciado garantir um estoque adequado de medicamentos para os postos de saúde e hospitais do SUS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.