Vírus da Sars pode sofrer mutações significativas

Apesar de o vírus da Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars) não ter passado por mutaçõessignificativas, pelo menos aparentemente, desde sua propagação pela Ásia, um especialista disse neste domingo que a epidemia está em fase inicial e que o vírus poderia mudar e causar uma doençamais letal ou menos agressiva.Alguns cientistas acreditam que as recentes comparações genéticas de 14 amostras diferentes do vírus indicam que a Sars, também conhecida como pneumonia atípica ou asiática, pode ter passado por mutações em sua forma para adaptar-se aos seres humanos."Passaram-se somente algumas semanas. Passaram-se décadas para que surgissem cepas mais virulentas de HIV, um retrovírus que teoricamente deveria mudar mais do que o da Sars", disse o doutor Christian Drosten, pesquisador do InstitutoBernhard-Nocht de Medicina Tropical em Hamburgo, Alemanha."O que acontecerá com esse vírus quando ele passar dos asiáticos para alguma população diferente do ponto de vista genético, como os africanos da região sub-saariana?",questionou."Isto é algo em que não pensamos o bastante", acredita Drosten, cujo laboratório trabalha para a Organização Mundial de Sáude (OMS) e contribui com as pesquisas sobre o vírus causadorda pneumonia asiática.Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.