Virgílio pede abertura de processo no Conselho de Ética

O desvio de parte do dinheiro de patrocínio da Petrobras à Fundação José Sarney, conforme reportagem publicada ontem no jornal O Estado de S. Paulo, levou o líder tucano no Senado, Artur Virgílio (AM), a formalizar hoje um pedido para que o Conselho de Ética do Senado abra um processo disciplinar contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP).

DENISE MADUEÑO, Agencia Estado

10 de julho de 2009 | 12h49

Como as representações por quebra de decoro parlamentar só podem ser encaminhadas por meio de um partido político, Virgílio protocolou no colegiado uma denúncia contra Sarney com base no artigo do Código Penal que diz ser crime patrocinar, direta ou indiretamente, interesses privados perante a administração pública.

Hoje, Virgílio também pediu formalmente à Procuradoria Geral da República que apure as responsabilidades pelo desvio do dinheiro, citando os crimes de peculato e formação de quadrilha ao pedir a abertura de inquérito policial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.