Virgílio nega que tenha sido repreendido por FHC

O líder do PSDB na Câmara, Arthur Virgílio, negou nesta terça-feira, por meio de nota, que tenha sido repreendido pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, por ter revelado à imprensa um possível convite do presidente Lula ao seu antecessor, para uma conversa no Palácio do Planalto."Não houve absolutamente nada disso", afirma o texto. "Nosso relacionamento é muito respeitoso, fraterno e solidário", acrescentou. Segundo a nota, Virgílio teria relatado, "num telefonema muito cordial", os pormenores da conversa que teve com Lula ao ex-presidente, no último sábado.Ele respondeu também às críticas de colegas do partido e da oposição por ter aceitado carona do presidente Lula, no avião presidencial, no último sábado, junto com outros senadores que estavam no velório de Ramez Tebet, em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul. "Fato normal numa democracia", resumiu Virgílio."Uma bobagem"De acordo com reportagem do Estado, na segunda-feira, o ex-presidente teria repreendido Virgílio, por ele ter revelado à imprensa o possível convite de Lula para uma conversa no Palácio do Planalto.Fernando Henrique teria dito ainda a amigos que o convite "é uma bobagem" e teria considerado imprópria a divulgação do encontro, antes de ser informado sobre os temas que Lula pretende abordar na ocasião.O ex-presidente também teria comentado entre colegas, em São Paulo, que Lula está perplexo, "sem agenda" e "sem capacidade de articulação" para montar seu futuro governo. A proposta feita por Lula a Virgílio causou diversas reações na base oposicionista.

Agencia Estado,

21 de novembro de 2006 | 13h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.