Virgílio é cada vez mais um 'caso de psiquiatria', reage Renan

Tucano afirmou que o peemedebista feriu o decoro parlamentar ao ameaçar com representação ao conselho

EUGÊNIA LOPES, Agencia Estado

31 de julho de 2009 | 13h09

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), reagiu nesta sexta-feira, 31, com ironia ao tomar conhecimento da declaração em que o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), voltou a afirmar que o peemedebista feriu o decoro parlamentar ao ameaçar denunciá-lo ao Conselho de Ética se o PSDB insistisse em pressionar pela saída do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). "O Arthur Virgílio é cada vez menos um caso de política, e mais de psiquiatria", disse Renan à Agência Estado. Na declaração, Virgílio voltou a dizer que seu partido deverá apresentar ao Conselho de Ética uma representação contra Renan por quebra de decoro.

 

Veja também:

especialESPECIAL: a trajetória de José Sarney

somÁUDIO: Ouça os diálogos que ligam Sarney a atos secretos e a Agaciel

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

linkVirgílio:' Ameaça do PMDB é conversa de mafioso'

O PMDB, por sua vez, anunciou que na próxima semana entrará com representações contra Virgílio, acusando-o de falta de decoro. Uma dessas representações seria fundamentada no caso de um assessor de Virgílio que passou um ano e meio estudando na Espanha às custas dos cofres do Senado. Virgílio está devolvendo à Casa o dinheiro (R$ 210 mil), parceladamente.

Renan afirmou que a conversa que teve na semana passada com Virgílio em busca de um entendimento foi "civilizada". O líder do PMDB disse estranhar que o PSDB, que "nunca entrou com representação contra ninguém" por quebra de decoro, agora tenha apresentado três ao Conselho de Ética contra Sarney.

Na terça-feira, quando retomar suas reuniões, o Conselho de Ética terá na agenda, para análise, 11 ações contra Sarney. São duas representações do PSOL e três do PSDB, quatro denúncias de Virgílio e duas assinadas em conjunto por ele e pelo senador Cristovam Buarque (PDT-DF).

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoRenanVirgílioSarneypsiquiatria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.