Virgílio diz que PSDB vota apenas Lei de Falências e LDO

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse que seu partido concorda em votar, nesta semana - a última dos trabalhos legislativos antes do recesso de julho -, apenas a nova Lei de Falências e a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2005. Com isso, jogou água fria no propósito do governo de ver aprovada, ainda nesta semana, a chamada "agenda econômica" que inclui, no Senado, o projeto das Parcerias Público-Privadas e o projeto da a Lei de Biossegurança.Segundo Virgílio, essa posição do PSDB é uma reação à atitude do governo de usar politicamente recursos orçamentários para favorecer seus aliados nas próximas eleições. "É uma forma corrupta de mexer nos recursos do Orçamento", afirmou. "É uma nova forma de corrupção a merecer um pedido de uma Comissão Parlamentar de Inquérito".O líder disse ainda que a assessoria do partido está avaliando se cabe uma ação de improbidade administrativa, neste caso. O partido reage, também, segundo seu líder, contra o que chamou de "aparelhamento do Estado pelo PT". Ele argumenta que o governo "tirou pessoas competentes e colocou pessoas incompetentes e encheu os cofres do PT". O senador Sérgio Guerra (PSDB-PE) denunciou que o governo está distorcendo a liberação de recursos do Orçamento da União. Segundo ele, há fortes indícios de que o governo está liberando recursos para outras cidades que não as visadas com emendas de bancadas. Ele alegou, por exemplo, que recursos aprovados pela bancada de Pernambuco para as cidades de Jaboatão dos Guararapes e Paulista, na região metropolitana de Recife, estão sendo liberados para Recife, cujo prefeito é petista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.