Virgílio diz que afastamento de Renan seria presente à Nação

O líder do PSDB no Senado faz apelo a presidente da Casa para que investigação seja concluída

07 de agosto de 2007 | 17h30

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio, pediu nesta terça-feira saída temporária do também senador Renan Calheiros. "Você daria um belo gesto de presente à Nação se prosseguisse no seu direito legítimo de fazer sua defesa como senador, provisoriamente, substituído por direito, num processo que se Deus quiser haverá de correr celeremente."   "Não pode haver nada que provasse que eu quisesse fazer mal a você. Não quero, quero proteger a nação. Mas esse direito de defesa vai se verificar e o processo só vai fluir se você se defender com seu vigor, experiência. Seria mais conveniente mais acertado. Portanto, eu não entenderia como gesto de fraqueza de vossa excelência dissesse: 'estou me licenciando para me defender'. Mesmo, entenderia como serviço prestado ao País, à Nação."   Para que a investigação  fluísse, segundo Virgílio, é "preciso que você se licencie para o senado se encontrar. É um apelo que lhe faço do coração, por entender que o senado deve ser a instituição honrada por todos nós."   Virgílio aproveitou para se defender das acusações feitas pela imprensa. "Já fui criticado pela imprensa porque disse que eu torcia muito para que nada se comprovasse contra vossa excelência. Apenas teria sido melhor para todo o País se esse pesadelo não tivesse acontecido"

Tudo o que sabemos sobre:
Renan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.