Violência contra imprensa ameaça democracia, diz ANJ

As manifestações ocorridas no dia 7 de setembro deixaram um saldo de, pelo menos, 20 profissionais de imprensa vítimas de violência. Desde o início do atual ciclo de manifestações, mais de 70 profissionais de imprensa já sofreram ferimentos e foram ameaçados em sua integridade, tanto por policiais quanto por grupos violentos que se infiltraram nos atos originalmente pacíficos. Em nota assinada pelo vice-presidente e responsável pelo Comitê de Liberdade de Expressão, Francisco Mesquita Neto, a Associação Nacional de Jornais (ANJ) alerta que "tal situação é intolerável, pois representa uma ameaça - na realidade, a maior ameaça nos dias de hoje - à vigência da democracia no País".

Agência Estado

10 de setembro de 2013 | 19h01

Diante desses fatos, a ANJ está exigindo das autoridades a apuração desses casos e a adoção das medidas cabíveis para punir os abusos de poder por parte das forças policiais. Além disso, exige que se investiguem os grupos que reiteradamente têm transformado manifestações legítimas em atos de vandalismo e violência gratuita e injustificável.

Mais conteúdo sobre:
ANJviolênciaimprensa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.