Violência aumenta 130% em 20 anos. Jovem é a maior vítima

A violência no país cresceu 130% entre 1980 e 2000, atingindo, principalmente, os jovens de 15 a 24 anos de idade. No período, quase 600 mil pessoas foram assassinadas no Brasil. Enquanto nos anos 80 os acidentes d e trânsito foram a principal causa das mortes de homens, na década de 90 os homicídios lideraram as estatísticas. Os dados constam da Síntese dos Indicadores Sociais, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Para o presidente do IBGE, José Eduardo Nunes, as causas da violência estão relacionadas à pobreza e ao desemprego.Segundo ele, a pobreza e a violência tornam vulnerável a população jovem. "Se (o jovem) não tiver oportunidade de trabalho, se não tiver condições de moradia e acesso a uma série de serviços públicos, fará parte de um contingente vulnerável", afirmou à Agência Brasil.De 1980 para 2000, os assassinatos de pessoas entre 15 e 24 anos de idade cresceram 54% em Pernambuco, 51% no Rio,46% no Espírito Santo e 42% em São Paulo. O estudo mostra que o atendimento no Sistema de Saúde Pública (SUS) às vítimasde violência é precário, o que aumenta o número de mortes. A situação é mais crítica no Norte, onde há apenas 4,7 leitos para 100 mil vítimas. No Nordeste, são 5,8 por 100 mil; no Sul, 13 por 100 mil, no Centro-Oeste, 10,6 por 100 mil e no Sudeste, 10,5.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.