Vilma tem aneurisma, mas recebe alta

A empresária Vilma Martins, de 51 anos, recebeu alta nesta terça-feira de manhã depois de passar quatro dias internada devido a uma crise hipertensiva. Ressonância magnética realizada na noite de segunda-feira detectou um aneurisma pré-existente no cérebro de Vilma, mas o neurologista Valdivino Vieira Júnior, médico da empresária, decidiu continuar o tratamento de sua paciente em casa.Segundo o neurologista, Vilma deve se submeter a um cateterismo para tratar o aneurisma. Caso não seja possível, ele deve realizar uma cirurgia na paciente. Vilma deixou o hospital reclamando de dormênciana perna esquerda e se dizendo "tranqüila", segundo seu advogado, Max Lânio Leão. Vilma deixou o hospital acompanhada das filhas Carla Beatriz - que vive na Itália e veio para Goiânia depois que a situação da mãe se agravou - Cristianne Michelle e Roberta Jamilly.A doença não atrapalha os processos de seqüestro que tramitam contra Vilma Martins. No dia 21, os advogados da empresária vão ao Tribunal de Justiça de Brasília para fazer a defesa de Vilma no processo que apura o seqüestro do garoto Pedro Rosalino Braule Pinto.Em Goiânia, o delegado Antonio Gonçalves, responsável pelo inquérito que apura o seqüestro de Aparecida Fernanda Ribeiro da Silva - registrada por Vilma como Roberta Jamilly - tenta descobrir quem levou a garota da maternidade Maio, em Goiânia, para o Hospital Paulo de Tarso, em Itaguari.Vilma deve comparecer no dia 5 de março, às 17 horas, na sala da juíza Maria Luiza Costa Póvoa, da 2ª Vara de Família. A juíza é responsável pelo processo de negação de paternidade movido pelo industrial Jamal Rassi. Vilma e Roberta terão que se submeter a coleta de sangue para um novo teste de DNA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.