Vieira esperava ser ministro, diz ex-chefe

Paulo Rodrigues Vieira, apontado pela Polícia Federal como chefe do esquema de venda de pareceres técnicos de órgãos federais, aspirava a um cargo mais alto do que a diretoria da Agência Nacional de Águas (ANA) e dizia que seria indicado para o cargo de ministro do Meio Ambiente.

ROSA COSTA, Agência Estado

07 de dezembro de 2012 | 09h40

O ex-diretor também gostava de mostrar proximidade com pessoas importantes, como o ex-chefe da Casa Civil, José Dirceu, segundo informou nesta quinta-feira (6) o presidente da ANA, Vicente Andreu Guillo, ao depor na Comissão de Meio Ambiente, Fiscalização e Controle do Senado.

Em cerca de duas horas, Andreu falou da dificuldade dos demais diretores da ANA de conviver com uma pessoa que descreveu como "complexa e ambiciosa". "Ele falava muito em ser candidato, tinha pretensões eleitorais, chegava a mencionar que estava cotado para ser nomeado ministro."

Filiado ao PT, Andreu relatou que Dirceu disse não conhecer Vieira. "Sou amigo de Dirceu, liguei para ele, que me disse nem sequer conhecê-lo", contou.

Andreu disse que o ex-diretor ficou desanimado com a agência porque esperava exercer outros tipos de atividade. Se pudesse escolher, Andreu acredita que Vieira optaria por outro cargo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
PFOperação Porto SeguroANA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.