Viegas elogia escolha de Alencar para chefiar Ministério

O ministro demissionário da Defesa, embaixador José Viegas, elogiou a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de escolher o vice-presidente José Alencar, para assumir o Ministério da Defesa. Segundo Viegas foi uma "escolha lúcida", já que Alencar é conhecido por seu espírito público e patriotismo. Durante o seu discurso de transmissão de cargo, nesta segunda-feira, no Palácio do Planalto, Viegas também agradeceu a colaboração dos comandantes das três Forças (Exército, Marinha e Aeronáutica) e disse que optou por não comentar os motivos que o levaram a pedir demissão. "Sobre isso já me pronunciei", afirmou Viegas, fazendo referência à carta de demissão entregue ao presidente Lula no dia 22 de outubro e divulgada na semana passada. Viegas comentou ainda que durante seus 22 meses à frente do Ministério muito foi feito para recuperar o setor da aviação civil no País que, segundo ele, vivia um quadro ruim, no início de 2003. Na avaliação do ministro demissionário, as empresas do setor já registraram uma boa recuperação e devem melhorar ainda mais, com o vice-presidente da República no Ministério.O ministro demissionário afirmou também que, depois do acidente na base de Alcântara, o Ministério renovou a parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia e obteve o apoio de parceiros como a Ucrânia para avançar na constrição do VLS a ser lançado em 2006, com novos satélites que aumentarão em 20 vezes a atual capacidade do Brasil nessa área. Segundo o ministro, já foi renegociado com os Estados Unidos um acordo de salvaguarda tecnológica para a utilização da base de Alcântara e com um novo texto, a ser apresentado ao Congresso, não haverá obstáculos para o programa de tecnologia espacial brasileira. Viegas salientou que foi sob seu comando que o Ministério da Defesa colocou em vigor a Lei do Abate. Segundo ele, a regra que permite a Aeronáutica derrubar aeronaves não identificadas no espaço aéreo brasileiro tem margem de erro praticamente zero. "O objetivo é coibir a prática do crime transnacional sem ameaçar as aeronaves comerciais", disse. MudançasA saída de José Viegas do Ministério da Defesa começa a provocar mudanças nos cargos de confiança. O Diário Oficial da União traz publicado nesta segunda-feira os decretos de exoneração, a pedido, de três servidores: Orlando Vieira de Almeida, do cargo de assessor especial do ministro; José Roberto de Almeida Pinto, do cargo de secretário de Estudos e de Cooperação; e Synésio Scofano Fernandes, do cargo de diretor do Departamento de Organização e Legislação da Secretaria de Organização Institucional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.