Vice tucano acusa 'inteligência do PT' por IR violado

O vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge Caldas Pereira, qualificou como "uma enrolação" as declarações dadas ontem pelo secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Porém, mesmo convencido de que a sindicância em curso não identificará os responsáveis pelo vazamento, Eduardo Jorge aponta um fato positivo: o de Cartaxo ter desmentido a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, que culpou o Ministério Público pelo vazamento. Para ele, a revelação é "comprometedora" porque leva à "origem da equipe de inteligência da campanha do PT".

AE, Agência Estado

15 Julho 2010 | 10h03

"O secretário podia ter tomado a decisão de revelar os nomes, mas estava ali cumprindo um papel de governo", afirmou ele, em referência às declarações de Cartaxo de que a Receita já sabe o dia, a hora, os computadores usados e os nomes dos funcionários que acessaram os dados, mas se recusou a dizer o nome dos envolvidos por se tratar de informações protegidas. O tucano disse que vai entrar com uma ação por danos morais contra a União pelo vazamento de seus dados fiscais pela Receita Federal. Eduardo Jorge acompanhou toda a audiência pública. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.