Vice-procuradora eleitoral defende multa a Lula e Dilma

A vice-procuradora geral eleitoral, Sandra Cureau, defendeu que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) puna mais uma vez com multa o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a pré-candidata ao Palácio do Planalto pelo PT, Dilma Rousseff, por terem feito propaganda eleitoral antecipada durante evento realizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) em comemoração ao Dia do Trabalho.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

01 de junho de 2010 | 18h51

Para Sandra Cureau, não havia motivos para que Dilma participasse do evento a não ser para fazer campanha, o que ainda não é permitido.

Na avaliação da vice-procuradora, ocorreu propaganda eleitoral antecipada e subliminar porque Lula teria passado a informação de que Dilma seria a pessoa capaz de dar prosseguimento às ações políticas de seu governo. Isso teria ocorrido quando Lula, em seu discurso, perguntou a Dilma se ela tinha ouvido quando ele disse que era necessário dar "sequenciamento" ao seu governo.

"Levando em conta que a segunda representada é notória candidata ao pleito presidencial, bem como a proximidade do pleito, a simples menção às razões que poderiam levar o eleitor a nela votar - continuidade do governo atual ou "sequenciamento" - já caracteriza a propaganda de cunho eleitoral", afirmou Sandra no parecer encaminhado ao TSE.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoTSEprocuradoriaLulaDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.