Vice-presidente do BID será secretário da fazenda do Rio

O ex-secretário do Tesouro Joaquim Levy anunciou nesta terça-feira, 28, que está deixando a vice-presidência do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para assumir a secretaria da Fazenda do Estado do Rio de Janeiro. Levy ficou apenas sete meses no BID.Segundo funcionários do banco, o brasileiro teve problemas de relacionamento com o presidente da instituição, o colombiano Luis Alberto Moreno. "Os dois se desentenderam porque Levy queria mais espaço para agir", disse um diretor de uma entidade latino-americana. O brasileiro havia substituído João Sayad no BID, depois de Sayad ter perdido a disputa da presidência do banco para Moreno.Levy vai trocar um salário estimado em US$ 20 mil por mês por cerca de R$ 6,5 mil na secretaria do Rio. Ele afirmou que deixou o BID porque quer participar no governo de seu Estado. "Vou sentir falta do banco, mas o Brasil é minha terra", disse o ex-secretário do Tesouro. "Estou apostando no crescimento de 5% sustentável."Entre as medidas que Levy pretende adotar na secretaria da fazenda do Rio está um corte de 30% nos gastos de custeio. O governador eleito do Rio, Sérgio Cabral, contou com a ajuda do governador de Minas, Aécio Neves, para convencer Levy a aceitar seu convite. Os dois governadores estão em Washington para reuniões com instituições multilaterais. "Conversei com Aécio sobre a importância de os governadores juntarem forças no Brasil, neste momento" , disse Levy.Ele deve ir para o Brasil sem a família, que fica em Washington pelo menos até junho, fim do ano letivo nos Estados Unidos - Levy tem duas filhas estudando lá. Segundo Cabral, o presidente do BID, Moreno, ajudou no processo de contratação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.