Vice-presidente argentino dirige moto em Brasília

Amado Boudou foi acompanhado pelo executivo do Ministério da Previdência, Carlos Gabas, 'piloto' dos 'rolés' sobre duas rodas de Dilma por Brasília

Dida Sampaio e João Domingos, O Estado de S. Paulo

06 de outubro de 2013 | 17h09

Piloto que teria conduzido algumas vezes na garupa da motocicleta a presidente Dilma Rousseff em passeios destinados a combater o estresse do dia a dia, o secretário executivo do Ministério da Previdência, Carlos Gabas, fez no sábado, 05, as vezes de anfitrião do vice-presidente da Argentina, Amado Boudou, também sobre duas rodas.

Diferentemente do que ocorreu com a presidente brasileira, que não dirige nem tem carteira de motociclista e precisa ser levada na garupa, no passeio com o argentino, tanto Gabas quanto Boudou dirigiram as próprias máquinas, dois modelos Harley Davidson Electra Glide Ultra, ambas vermelhas, com navegador GPS e sistema multimídia de comunicação.

Amado Boudou teve de se despedir às pressas de Gabas e voltar à Argentina para assumir o lugar da presidente Cristina Kirchner, que fará tratamento de saúde neste mês.

Rolé. De acordo com inconfidências do ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, Dilma teria dito aos auxiliares que de vez em quando costuma dar "um rolé" por Brasília, numa moto.

Descobriu-se depois que a moto em questão pertence a Gabas. Ele é o favorito para ocupar a vaga da ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil), que deverá se desincompatibilizar para disputar o governo do Paraná.

Como a Casa Civil fica no Palácio do Planalto, a moto de Gabas ficaria estacionada no subsolo do prédio, caso ele mude de local de trabalho. As voltinhas de Dilma na moto poderão ficar mais fáceis e frequentes a partir daí.

Tudo o que sabemos sobre:
Carlos GabasAmado Boudoumotocicletas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.