Vice-prefeito monta gabinete no meio da rua em Ilhabela

Depois de ser expulso da prefeitura de Ilhabela, cidade do Litoral Norte Paulista, o vice-prefeito do município, Antonio Carlos Simões (PL), decidiu continuar trabalhando do lado de fora do prédio. Com um guarda-sol, uma mesa e quatro cadeiras, Simões montou um gabinete itinerante na calçada, próximo ao estacionamento da prefeitura, para atender a população e ainda colocou uma faixa indicando que ali é seu novo lugar de trabalho. "Aqui é melhor, não tem o peso da corrupção", disse nesta terça-feira, 28, ao Estado, alfinetando seu adversário político, o prefeito Manuel Marcos Ferreira (PTB).As divergências entre Simões e Ferreira se intensificaram depois das denúncias do suposto esquema de desvio de dinheiro da folha de pagamento da prefeitura. A ex-chefe do setor de RH, responsável pela elaboração da folha de pagamento, Laurentina Rinaldo, confessou o crime em depoimento à polícia na semana passada. De acordo com a polícia outras dez pessoas estão envolvidas na fraude.Segundo o secretário de assuntos jurídicos do município, Odair Barboza, o prefeito Manoel Marcos decidiu retirar a sala do vice-prefeito porque Simões ficava falando mal de funcionários pelos corredores e em voz alta, atrapalhando o bom andamento da administração pública. "Se ele quer falar mal, denunciar, ele que vá fazer fora da prefeitura, de preferência ao Ministério Público", disse o secretário.Simões negou as acusações, mas confirmou que sua sala foi "desmontada" depois que as denúncias de corrupção vieram à tona. "Há cerca de quinze dias cheguei para trabalhar e não tinha mais sala, tudo havia sido retirado, inclusive documentos". Desde então o vice-prefeito, que continua recebendo salário normalmente, decidiu realizar o mesmo atendimento às pessoas, só que na calçada."Nos dois primeiros dias atendi cerca de 45 pessoas. Com a ajuda de voluntários anoto os pedidos e vou encaminhar tudo para o prefeito. Se ele não atender, encaminho ao Ministério Público". Segundo Simões, são requerimentos sobre revisão de IPTU, serviços, entre outros pedidos.Sobre a intenção de ser o sucessor de Manoel Marcos, Simões reagiu. "Minha única pretensão é ver a administração de Ilhabela mais transparente, não quero ser prefeito não."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.