Vice nega relação estremecida com Yeda no RS

O vice-governador eleito do Rio Grande do Sul, Paulo Afonso Feijó (PFL), negou nesta quarta-feira rumores de que sua relação com a futura governadora do Estado, Yeda Crusius (PSDB), estaria estremecida, mas considerou que poderia ser de "mais integração". "A imprensa tem a percepção de que existe rompimento entre o vice e a governadora", declarou, ao negar qualquer mudança em sua relação com a tucana. Feijó disse, no entanto, que não foi consultado sobre nenhum nome do primeiro escalão e atribuiu isso ao fato de o presidente de seu partido, Onyx Lorenzoni, ser o interlocutor designado para essa função no PFL. "Não pediram minha posição sobre nenhum secretário até o momento", constatou. "O presidente do partido tem sido ouvido", acrescentou. Em palestra na Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Estado (Federasul), Feijó defendeu o aumento do orçamento para segurança, como forma de aplicar recursos nas áreas consideradas prioritárias pela população. Ele também abordou o baixo crescimento do Estado, criticou o aumento de ICMS aplicado em 2005 e 2006 e avaliou que São Paulo é referência em termos de administração pública. "Foi o que melhor fez a lição de casa", afirmou. Para o futuro vice-governador gaúcho, que também é empresário, os governos não são referência de gestão. "Os governos, de uma forma geral, são incompetentes e não são modelo de gestão para ninguém". Secretários Yeda anunciou nesta quarta-feira mais quatro secretários que farão parte do governo, junto com a chefe de Gabinete. O peemedebista Osmar Terra será titular da Saúde, o deputado federal Nelson Proença, do MD, ficará à frente do Desenvolvimento e Assuntos Internacionais, o deputado estadual Berfran Rosado (MD), responderá pelo Planejamento e Gestão e Maria Leonor Carpes, pela Administração. A ex-deputada Iara Wortmann será a chefe de gabinete da governadora eleita, que ainda não completou a escolha dos integrantes do primeiro escalão. Já tinham sido anunciados o futuro chefe da Casa Civil, Luiz Fernando Záchia, a secretária da Educação, Mariza Abreu, e o secretário de Infra-Estrutura e Logística, Daniel Andrade. Este texto foi ampliado às 19h25.

Agencia Estado,

13 Dezembro 2006 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.