Vice na chapa do PDT em Salvador é acusado de tentativa de extorsão

A revelação de tentativa de extorsão praticada há sete anos pelo deputado estadual Maurício Trindade (PSDB), vice na chapa do candidato do PDT à prefeitura de Salvador João Henrique Carneiro, líder nas pesquisas de intenção de voto, esquentou a campanha pela sucessão municipal em Salvador. O vice renunciou, voltou atrás e pode ser expulso do PSDB caso não confirme a renúncia. A prova da corrupção foi obtida pelo empresário mineiro Omar Braga que grampeou três telefonemas dele com Trindade, em 1997, época em que era vereador e apoiava o atual prefeito de Salvador Antonio Imbassahy (PFL). O empresário não aceitou a extorsão. Ao tomar conhecimento das gravações Trindade tentou se justificar dizendo que na verdade estava "investigando" fraude na licitaçãoTrindade pediu 15% para ajudar a empresa de Braga, a Nutril Nutrimentos Industriais a vencer uma licitação de R$ 8 milhões, aberta pela Secretaria de Saúde de Salvador para a compra de leite, com recursos do governo federal. Nas conversas dá a entender que tanto o prefeito como a secretária da Saúde Aldely Rocha sabiam do esquema.Imbassahy ficou indignado com o envolvimento do seu nome e disse que vai processar Trindade por calúnia e difamação. "Nunca houve uma conversa sobre esse assunto do prefeito com o então vereador Maurício Trindade", declarou Imbassahy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.