Vice-líder do PMDB diz que apoio ao governo é incondicional

O PMDB assumiu a defesa do governo no plenário do Senado e atacou a oposição, a começar por um discurso em que o vice-líder da bancada, senador Hélio Costa (MG), afirmou que a ameaça do partido de romper com o governo é apenas de deputados peemedebistas. Segundo o senador mineiro, "a nota do partido expressa apenas a posição da Câmara". "No Senado, continuamos a apoiar o governo sem condicionantes", assegurou. Costa disse, ainda, que todos os pontos da pauta econômica proposta pelo partido em nota publicada ontem são válidos. "Mas somos responsáveis, para assegurar a governabilidade do País", acentuou. "O PMDB vai dar a sua contribuição para a retomada do crescimento, mas com o objetivo de melhorar a vida das pessoas". Na avaliação do vice-líder, o partido "está pronto a ajudar para que o Brasil acerte". "Sem o PMDB, aumenta o risco político para o governo eleito em nome das mudanças", afirmou.O senador defendeu, ainda, a atuação da base parlamentar, principalmente de sua bancada, para "buscar uma sintonia fina que permita a realização de alianças para as eleições municipais". Além disso, o senador disse que o governo "terá que se desvencilhar da dinâmica fisiológica e assumir um compromisso com o setor produtivo". Depois de dar explicações sobre a posição do PMDB no Senado, o senador atacou a oposição que, segundo ele, é feita de forma sistemática. "Foi assim na queda de Jânio Quadros e de Jango Goulart, e é essa mesma oposição sistemática que bate forte no presidente (Lula)", disse o vice-líder do PMDB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.