Vice-governador apoia tucano e racha PMDB-MG

BELO HORIZONTE - O apoio do vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade (PMDB), à candidatura do tucano João Leite à prefeitura de Belo Horizonte expôs uma crise do peemedebista com o governador Fernando Pimentel (PT) e provocou racha no partido no Estado.

Leonardo Augusto, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2016 | 05h20

Em nota divulgada ontem, deputados estaduais aliados do petista, e que participam da Executiva Estadual da legenda, afirmaram que não foram consultados pelo vice sobre a decisão e que o posicionamento é “pessoal” de Andrade.

O embate envolve ainda o senador Aécio Neves (PSDB), que aparece em uma foto na segunda-feira apertando a mão de Andrade ao lado do deputado federal Rodrigo Pacheco, derrotado no primeiro turno da disputa pelo comando da capital. O presidente da comissão provisória do PMDB da capital, deputado federal Leonardo Quintão, também participou do encontro.

O governador vem tentando manter coesa sua base na Assembleia Legislativa. Ontem, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que a abertura de ação penal contra Pimentel no âmbito da Operação Acrônimo depende de prévia autorização do parlamento estadual.

Anteontem, ao comentar a decisão de apoiar João Leite, Andrade disse que não tinha obrigação de comunicar seu posicionamento a Pimentel. Na nota, os 13 deputados estaduais do PMDB, inclusive o presidente da Assembleia, Adalclever Lopes, afirmam que não reconhecem a decisão de Andrade e Quintão. Pimentel recebeu a bancada peemedebista ontem para almoço. O governo informou que “não se manifesta sobre assuntos relativos ao processo eleitoral”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.