Vice é preso acusado de mandar matar prefeito no PR

De acordo com a polícia, Bruch, que era vice de Royer, planejou a morte em razão de desavenças políticas

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

18 de julho de 2008 | 19h23

A polícia prendeu nesta sexta-feira, 18, o atual prefeito de Itaipulândia, no oeste do Paraná, Laudair Bruch (PTB), que assumiu o cargo há dez dias após a morte de Vendelino Royer, executado com cinco tiros. De acordo com a polícia, Bruch, que era vice de Royer, foi o mandante do assassinato, em razão de desavenças políticas. Ele era secretário das Finanças e tinha sido exonerado do cargo havia dois meses. Além de Bruch, outras seis pessoas suspeitas de participar do crime também estão presas. A polícia ainda procura Tiago Pereira Maciel, acusado de ser o autor dos disparos.O delegado de Foz do Iguaçu, Alexandre Macorin, disse que Bruch estava tentando fugir para Curitiba, mas foi preso no trevo de Itaipulândia. Segundo ele, apenas o prefeito em exercício não assumiu qualquer responsabilidade no crime. "Com o fim das investigações, ficou claro que o crime é político. O prefeito não estava mais conseguindo aceitar as posições do seu vice e secretário e, por isso, exonerou-o do cargo", disse o delegado. "A partir disso tramou o crime para assumir como prefeito e fazer os acertos políticos." Os advogados de Bruch não foram encontrados.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaParanávice-prefeito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.