Vice do Conselho de Ética do Senado ameaça ir ao STF contra presidente do órgão

O vice-presidente do Conselho de Ética do Senado, Demóstenes Torres (PFL-GO) anunciou no fim da manhã desta quinta-feira que fará um pronunciamento em plenário nesta tarde para mostrar a incapacidade do presidente do órgão, João Alberto (PMDB-MA) a agir "despoticamente" para engavetar os pedidos de abertura de processo contra os três senadores acusados de envolvimento com a máfia das ambulâncias: Ney Suassuna (PMDB-PB), Magno Malta (PL-ES) e Seres Slhessarenko (PT-MT).Para Demóstenes, o argumento de João Alberto de que as denúncias partiram de um "bandido" como ele se referiu ao empresário Luiz Antonio Vedoin, não convence. Lembrou o exemplo do ex-mafioso Tomazzo Buscceta, cujas declarações ajudaram a justiça italiana a desvendar a atuação de mafiosos. "É claro que não cabe ao arcebispo de Brasília tomar conhecimento sobre atividades criminosas. Quem tem de falar é alguém que realmente participou do esquema, como é o caso do Vedoin", afirmou. Demóstenes disse ainda que se João Alberto insistir em arquivar os pedidos do processo ele vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal para assegurar ao Conselho de Ética o direito de atuar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.