André Lessa/AE
André Lessa/AE

Vice de João Paulo admite ansiedade enquanto aguarda renúncia do petista

Deputado federal foi condenado pelo STF por participação no esquema do mensalão

Felipe Frazão - O Estado de S. Paulo

30 de agosto de 2012 | 16h40

OSASCO - O candidato a vice-prefeito na chapa petista que disputa as eleições em Osasco, o ex-secretário municipal de Governo Jorge Lapas, admitiu nesta quinta-feira, 30, estar ansioso para o pronunciamento do candidato a prefeito, deputado federal João Paulo Cunha, que foi condenado no julgamento do mensalão.

 

Lapas é o provável substituto de João Paulo na cabeça de chapa do PT, caso o parlamentar renuncie à candidatura ainda nesta quinta. "Estou ansioso para o desfecho", disse Lapas depois de almoçar em uma churrascaria ao lado da sede da prefeitura.

 

O ex-secretário passou parte da manhã na sede da prefeitura de Osasco. Depois, sentou à mesa com outros secretários do prefeito Emídio de Souza (PT), que também aguardava um posicionamento do parlamentar.

 

Lapas tem a confiança de Emídio, de quem foi secretário de Obras e de Governo até se licenciar para a disputa das eleições municipais. Ele ajudou a articular a base na Câmara e cumpriu agendas de campanha nas últimas semanas, mesmo aquelas em que João Paulo faltou. "É uma decisão dele (João Paulo). Estamos aguardando. Não posso garantir, pode ser hoje, pode ser amanhã ou segunda-feira."

 

Para assumir a cabeça de chapa, Lapas ressalta que precisará ser aprovado pelos outros 19 partidos da coligação. Ele não ter certeza ainda se assumirá.

 

Indefinição. Nesta quarta, Cunha foi ao encontro de correligionários no centro da cidade para tratar da campanha e de sua substituição na cabeça da chapa. O motorista do deputado o buscou em casa, ainda cedo. João Paulo saiu rapidamente de casa e entrou no carro, vestido de camisa branca e com a cabeça baixa. Ao Estado, o parlamentar afirmou que ainda não havia tomado uma decisão sobre a manutenção ou a desistência da candidatura: "Ainda não posso falar nada."

 

No comitê central, integrantes da campanha disseram que o deputado estava muito abatido. O diretório do PT mandou militantes e cabos eleitorais com bandeiras e faixas para as ruas. Alguns líderes de militantes comentavam que os cabos estavam sendo hostilizados e sofrendo pressão nas ruas.

 

Poucos carros de som circularam tocando o jingle em que João Paulo é apresentado como "João coragem, João valente". E praticamente sumiram as dezenas de grupos com bandeiras sob o Viaduto Metálico, na entrada da cidade.

 

Pela internet, o candidato a vereador pelo PT, Alemão, divulgou foto em que classifica o candidato tucano e deputado estadual, Celso Giglio, de condenado. Em outra imagem postada no Facebook, dava apoio a João Paulo: #EstamoscomJoãoPaulo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.