Vice de Haddad é questionada sobre ausência de Marta

No dia em que foi homologada como vice da chapa do candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PT, Fernando Haddad, Nádia Campeão (PCdoB) teve um discurso de conciliação. A presidente estadual do PCdoB teve de responder perguntas sobre o não engajamento da senadora petista Marta Suplicy na campanha municipal, e sobre a saída da deputada federal Luiza Erundina (PSB) do posto de vice de Haddad.

BEATRIZ BULLA, Agência Estado

30 de junho de 2012 | 18h14

Sobre Erundina, Nádia afirmou que conversou com a deputada pelo telefone e que ela irá se engajar na campanha. "A Luiza levou muito em conta que ter uma mulher na chapa era uma coisa boa para a nossa luta, das mulheres. Ela disse que estava satisfeita e que vai se engajar na campanha", afirmou em coletiva após a convenção do PT realizada neste sábado na Câmara Municipal.

O presidente municipal do PSB, Eliseu Gabriel, também reiterou em seu discurso que a deputada federal vai participar da campanha de Fernando Haddad.

Em relação à ausência de Marta Suplicy na campanha petista, Nádia Campeão também buscou uma postura cordial. "A Marta é muito querida na cidade de São Paulo e seria uma pessoa muito importante na nossa campanha." Depois de mostrar diversas vezes que não iria se engajar na campanha de Haddad, na última sexta-feira, a senadora sinalizou de forma mais clara que deve ficar de fora da briga eleitoral. Sobre o assunto, Haddad apenas afirmou: "Vou respeitar sempre a prefeita Marta."

Nádia Campeão também teve de amenizar o desconforto causado em seu partido pela retirada da pré-candidatura do vereador Netinho de Paula (PCdoB). Ele abriu mão de concorrer às eleições municipais em prol da aliança com o PT e não escondeu sua frustração na última semana.

Neste sábado, durante a convenção do PCdoB, Netinho disse que irá trabalhar pela vitória de Haddad, mas afirmou que seu partido espera o momento de lançar uma candidatura própria. "Nos preparamos para a possibilidade de chegar a essa fase em condições de disputar ou não (a Prefeitura). O Netinho está pronto para ir para a batalha. Política é assim: a gente tem de saber qual o passo seguinte sem se atrapalhar com as coisas que aparecem no meio do caminho", afirmou a presidente estadual do PCdoB.

Gestão Kassab

Durante coletiva de imprensa, depois da convenção que homologou a candidatura de Haddad à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad voltou a fazer críticas à gestão do prefeito Gilberto Kassab.

De acordo com o petista, essa semana a atual gestão "mostrou realmente a sua cara". Ele fez referência a possível proibição da distribuição de sopas e a "perseguição" a ambulantes. "Não se faz o que se está fazendo em São Paulo para criar factoides que não contribuem para uma sociedade de tolerância", afirmou. De acordo com Haddad, os paulistanos estão "indignados", e cravou: "Tudo tem limite".

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesHaddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.