JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

Vice de Haddad avalia gestão de Kassab como insuficiente

Nádia Campeão afirmou que campanha de Russomanno é sem propostas e prometeu construção de 172 creches

Cristiane Salgado Nunes - O Estado de S. Paulo,

11 de setembro de 2012 | 16h39

Em entrevista à TV Estadão nesta terça-feira, 11, Nádia Campeão (PC do B), vice do candidato Fernando Haddad (PT) à Prefeitura de São Paulo, afirmou que a gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD) foi insuficiente por não conseguir cumprir suas metas. Embora o PC do B comande a Secretaria de Articulação da Copa de 2014 no governo de Kassab, Nádia ressaltou que é importante realizar o campeonato mundial com "interesses suprapartidários".

A candidata também rebateu quaisquer acusações de irregularidades do seu partido e defendeu o ex-ministro dos Esportes, Orlando Silva, que deixou o cargo em 2011 por denúncias de corrupção: "Foi uma denúncia falsa, a maior parte das acusações não tinha fundamento e o processo contra Orlando foi arquivado porque não havia nenhuma prova".

A vice de Haddad ainda afirmou que a rejeição da população ao Kassab contribuiu para aumentar a de José Serra (PSDB) na disputa eleitoral. Para Nádia, esse é um dos fatores que contribuiu para liderança de Celso Russomanno (PRB) nas pesquisas de intenção de votos, além do candidato ser conhecido pelo eleitorado por sua atividade anterior na televisão como apresentador. Apesar do favoritismo nas pesquisas, Nádia criticou a campanha do adversário e a classificou de sem propostas: "Acho que a campanha de Russomanno é um pouco vazia, há uma insuficiência administrativa e falta capacidade para juntar forças políticas".

Quando questionada se a coligação com o Paulo Maluf poderia trazer problemas à candidatura de Haddad, Nádia respondeu que isso é um fator secundário. "O que predomina hoje é o perfil de Haddad e sua identidade. Isso não é de relevância agora", justificou. A vice defendeu a aliança com o PP, fato que levou Luiza Erundina (PSB) a abandonar a campanha do petista. "Substituir a Erundina, de certa forma, me orgulha bastante. Agora, sobre o PP, eu compartilho da mesma opinião do Haddad: é preciso fazer alianças para governar".

Nádia, que foi secretária de Esporte na gestão de Marta Suplicy, elogiou a participação da senadora na campanha de Haddad, assim como a da presidente Dilma Rousseff. "Ajuda bastante, são duas mulheres importantíssimas. A Marta por ser uma mulher guerreira e por seus quatro anos de governo. A presença da presidente Dilma, então, nem se fala. É uma excelente surpresa para todos que confiaram na indicação de Lula". A vice ainda comentou sobre a posse de Marta no Ministério da Cultura e descartou o cargo como troca de favores: "Acho que a Marta tem competência e qualidades para ser ministra".

Proposta. A candidata prometeu a construção de 172 creches em quatro anos e afirmou que é uma medida prioritária do plano de governo de Haddad. "Pretendemos criar creches em tempo integral. A mãe não trabalha meio período, trabalha período integral. Hoje, a demanda é de 150 mil vagas para São Paulo, e esse é nosso compromisso", disse.

Próximos entrevistados. Na quarta-feira, 12, será a vez de Alexandre Schneider (PSD), vice de José Serra (PSDB); e Lucas Albano (PMN), vice de Soninha Francine (PPS), na quinta-feira, 13.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.