Vice de Feliciano diz que desistiu de renúncia a pedido do partido

Antônia Lúcia ameaçou deixar função após pastor dizer que antes dele comissão era dominada por Satanás

Eduardo Bresciani, O Estado de S. Paulo

02 Abril 2013 | 16h46

BRASÍLIA - A deputada Antônia Lúcia (PSC-AC) afirmou nesta terça-feira, 2, que desistiu de renunciar ao cargo de vice-presidente da comissão de Direitos Humanos a pedido de seu partido. Ela tinha ameaçado deixar a função após a declaração do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) de que antes dele a comissão era dominada por Satanás.

"Atendi a um pedido do meu partido, do nosso líder (André Moura)", disse a deputada. "O pastor Marco Feliciano me telefonou, pediu desculpas e eu aceitei", complementou. Ela participou de uma reunião da bancada nesta tarde.

Na saída da reunião do PSC, Feliciano afirmou que foi discutida a pauta da comissão, mas não deu detalhes. O deputado também confirmou que irá a Bolívia para visitar os torcedores corintianos presos. "Vou à Bolívia, vamos tirar os corintianos de lá". Sobre o pedido de processo contra ele apresentado pela deputada Iriny Lopes (PT-ES), Feliciano limitou-se a dizer que a petista estava no seu direito.

A declaração de Feliciano que provocou o novo embate em seu partido foi feita em um culto em Passos (MG). Ele afirma que ao dizer Satanás queria dizer adversário, significado da palavra em hebraico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.